O Colégio João XXIII acredita que o fazer ciência é tão importante quanto divulgar as descobertas científicas, pois é por meio delas que se constrói uma sociedade informada, reflexiva, com senso crítico e oportunidade de escolha. Pensando nisso, o professor de Biologia André Kersting organizou com a 2ª série do Ensino Médio um seminário a partir do programa de rádio Fronteiras da Ciências, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). “A escola deve propiciar oportunidades e espaços para a discussão sobre o que é Ciência e seus mitos, sempre estimulando os estudantes dentro do que é previsto”, acredita o professor André. 

Para colaborar com o evento, realizado no dia 8/5, foi convidado o professor do Instituto de Física da UFRGS, um dos apresentadores do programa, e pai de estudante da Escola, Jeferson Arenzon. Jeferson trouxe contribuições importantes para os estudantes, que escolheram temas do programa para serem estudados e debatidos durante o seminário. “Senso crítico e método científico são ferramentas que não devemos ter medo de usar. O método é simplesmente uma maneira organizada, crítica e criteriosa de tentar entender o mundo. Ele pode ser usado tanto em um laboratório de pesquisa quanto em nossas atividades cotidianas. Num mundo cada vez mais cheio de notícias falsas e desinformação, precisamos separar a ciência da pseudociência, os métodos comprovados das picaretagens, as notícias verdadeiras das falsas”, afirma Jeferson.

Depressão, Astrologia, Marie Curie, Suicídio, Stephen Hawking, Verdades inconvenientes e Dark Web foram alguns dos tópicos debatidos entre a 2ª série e os professores. “Apesar de terem um tempo muito restrito, os estudantes foram super eficientes em retransmitir o recado. Alguns temas foram tratados em um nível elevado, com convicção e autoridade. Saí com a certeza de que o Colégio de fato incentiva uma atmosfera de crítica e debate, essencial para manter o espírito crítico e a liberdade de expressão”, conta Jeferson.