Desde o início do ano, os estudantes do 7º ano do Colégio João XXIII têm sido convidados a leituras literárias que permitem deslocamentos, rupturas e estranhamentos em relação a si mesmos, ao outro e aos mundos dos quais tomam parte. Neste 2º trimestre, o desafio foi a leitura dos contos do livro “Kaschtanka e outras histórias de Tchékhov”, de Anton Tchékhov. As leituras compartilhadas aconteceram 1 vez por semana e envolveram os componentes curriculares de Língua Portuguesa, ministrada pela professora Raquel Leão, História, ministrada pela professora Patrícia Dyonísio Carvalho, e a equipe da Biblioteca. 

Inspirados pela história do conto “Kaschtanka”, uma cadelinha “humanizada” pela narrativa de Tchékhov, os jovens produziram relatos em 1ª pessoa do ponto de vista de um animal. Para isso, tiveram de exercitar certo deslocamento do olhar que percebe o cotidiano como algo “dado” e foram em busca de outros modos de narrar o mundo. 

Em História, o livro foi adotado como uma possibilidade de compreender o contexto social, econômico, político e cultural da Idade Média – um dos principais conteúdos trabalhados ao longo do trimestre. “Ao estudar o Medievo (do século V ao XV), analisamos como o final do Império Romano e o contato dos romanos com os povos denominados bárbaros ajudou a constituir o que ficou conhecido no ocidente como Feudalismo – sistema social que influencia, diretamente, a forma como a economia, cultura e política se articulam”, comenta Patrícia. Para a professora, a tensão entre campo e cidade, que acontecia nos últimos séculos do Feudalismo, quando o processo de Renascimento Urbano e Comercial se inicia, é o ponto de encontro entre a Europa rural do século V-XV e Tchékhov e a Rússia do final do século XIX e início do XX.  

Além disso, tanto na Rússia czarista quanto na Europa feudal, a presença da Igreja e suas implicações nos costumes dos russos e dos medievais foram fundamentais para a constituição e manutenção do sistema czarista e do feudalismo. “A partir destas e de outras relações possíveis entre a Idade Média, estudada pelo 7º ano, e a obra de Tchékhov, construímos aulas que vinculassem o ensino da Língua Portuguesa e o de História”, fala Raquel Leão, professora de Língua Portuguesa. 

O projeto terá continuidade com as primeiras questões de estudo que emergiram em “A chegada”, de Shaun Tan e “Caninos Brancos”, de Jack London. Ao longo do 2º e do 3º trimestre, os estudantes terão a oportunidade de experienciar obras como “A Revolução dos Bichos”, de George Orwell e “Nova York”, de Will Eisner.