Arquitetos Solidários e João XXIII se unem para reformar UPA Cruzeiro

Solidariedade, empatia, criatividade. Mais do que bem-vindo, este trio é vital nestes tempos de pandemia, pois qualifica a vida tanto de quem dá, quanto de quem recebe. Por este motivo – e fiel aos seus princípios – o Colégio João XXIII atendeu ao convite do grupo Arquitetos Voluntários – Hack for Brazil COVID 19 para reformar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila Cruzeiro do Sul. O projeto conta com a participação direta dos jovens, por meio do Grêmio Estudantil (GEJ), além da contribuição de toda a comunidade escolar. 

Criado pela arquiteta e ex-estudante da Escola, Daniela Giffoni, o coletivo Arquitetos Solidários reúne 70 profissionais. Daniela tem convicção de que o Colégio onde estudou desde Educação Infantil plantou sementes de humanidade e criatividade hoje traduzidas em sua proposta. Assim, a parceria lhe parece natural. Mesmo porque – chama atenção – a UPA da Cruzeiro está inserida no entorno do Colégio, sendo utilizada por diversos profissionais, além dos moradores locais.

A Unidade faz parte de uma lista de sete espaços a serem atendidos pelos Arquitetos, que já prestaram serviço em oito hospitais de referência da COVID 19 no Rio Grande do Sul. “A proposta é melhorar as condições dos profissionais de saúde”, explica Daniela. “Em muitos lugares onde trabalhamos, eles não tinham sequer um espaço para descansar ou ficavam misturados aos colegas que não atendiam diretamente casos de COVID”, revela.

Projeto Comunidade

Na UPA, a situação é similar e, para mudá-la, os arquitetos fizeram o levantamento dos equipamentos e materiais necessários à reforma. Após firmarem parceria com o João, um dos primeiros passos foi conversar com o Grêmio Estudantil (GEJ). Posteriormente, o grupo contou com a ajuda da engenheira Maria Cristina, mãe da presidente do GEJ, Ana Pretto, para listar os materiais necessários para  fase I  do projeto. A arrecadação dos recursos para a compra acontece por meio da vakinha eletrônica, que todos podem contribuir doando ou divulgando na sua rede de amigos. Planejada integralmente pelo GEJ, a aquisição da lista será executada em parceria com a equipe de coordenação do projeto, integrada por Daniela.

Encontros online entre os estudantes e Daniela vêm sendo realizados, mas toda a comunidade escolar será convocada a participar. “Os jovens de hoje estão muito motivados para ações deste tipo. Eles são empáticos, solidários e sem preconceitos além de, por meio da tecnologia, terem a informação na palma da mão”, entusiasma-se a criadora do projeto, prevendo êxito total na parceria. Para a psicóloga Maria Fernanda Hennemann - orientadora educacional do 9º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio – o projeto proporciona aos estudantes “compromisso, protagonismo e senso de humanidade”, elementos importantes para a formação dos jovens. Além disso, ela chama a atenção para importância do contato com uma equipe multidisciplinar e com o envolvimento na revitalização de um espaço de saúde tão importante quanto a UPA Cruzeiro. Ou seja: “Abre uma janela para o mundo”.

Vitor Peres Zanon Schmitt, vice-presidente do GEJ, igualmente se mostra entusiasmado e até agradecido pela oportunidade. “Participar de um trabalho assim abre a nossa mente, fura a nossa bolha social e nos mostra locais com dificuldades muito diferentes da dos hospitais que costumamos frequentar. É um choque de realidade, mas aprendemos o quanto podemos ajudar, mesmo sem a questão presencial”. E ele vai além: “Acho que falo em nome de todo o Grêmio quando digo que estamos tendo uma lição de empatia. E ela nos acompanhará por toda a vida”.

Na semana passada, o espaço de descompressão - local que promove tempo de relaxamento aos colaboradores durante o intervalo - recebeu grafite do artista Jackson Brum.