"Os povos são construídos com os sonhos. Aqueles que partilham sonhos se dão as mãos e caminham juntos. E esse é, precisamente, o início da política, que poderia até ser definida como uma arte de administrar os sonhos de um povo."

Rubem Alves

 

Prezada comunidade escolar,

No dia 5 de junho, às 18h20min, reuniram-se em Assembleia, profissionais dos diferentes segmentos da nossa escola. O objetivo desta reunião foi discutir sobre a possível adesão à greve geral que acontecerá no dia 14 de junho, contra os cortes na educação e a reforma da previdência, medidas que afetam todos os cidadãos.

Assumindo o papel social de trabalhadores em educação, mesmo em uma instituição privada, o grupo de professores e funcionários reunidos decidiu por participar desta paralisação, tendo em vista sua inserção crítica e responsável frente à realidade em que vivemos.

Respeitando a comunidade como um todo, comunicamos com antecedência esta decisão, para que as famílias possam se organizar. Também ressaltamos que este dia não será recuperado, por não alterar o número de dias letivos obrigatórios, previsto no calendário escolar de 2019.

Aceitando a pluralidade de opiniões acerca do contexto da paralisação, igualmente válidas, convidamos a comunidade escolar para um olhar empático diante da decisão dos profissionais desta Instituição.

A Diretoria da Fundação e a Equipe Técnica-Diretiva da Escola acolhem a soberania desta decisão.

 

"A esperança para a política virá dos que não são políticos profissionais: não militam em partidos, não se candidatam, não ganham com seus cargos, não gozam de mordomias, estão fora dos círculos de poder [...] Sonho com uma política a ser feita por aqueles que nada desejam ganhar, a não ser a alegria de contribuir para diminuir o sofrimento do povo."

Rubem Alves