O “Sarau da Mulher”, uma atividade organizada com as estudantes da 1ª série do Ensino Médio nas disciplinas de História, Redação e Língua Espanhola, abriu a programação voltada ao “Dia da Mulher”, neste 8 de março, no Colégio João XXIII. “As estudantes tiveram e deram uma aula de cidadania”, diz Mirian Zambonato, coordenadora pedagógica do 9º ano ao EM. 

Reunidas no pátio central, às 7h40min, as meninas leram trechos de livros escritos por mulheres e, algumas estudantes, declamaram poemas de sua autoria. Desconstruir o machismo dentro da Literatura, legitimar a escrita das mulheres e o espaço de fala oferecido pela Escola esteve entre os objetivos da atividade. 

Mais tarde, às 12h, a intérprete-cantora Elinka Matusiak, as instrumentistas Thais Nascimento e Gabi Vilanova e as percussionistas Lu Mello e Alexsandra Amaral fizeram um pocket show com um repertório só de mulheres. Entre elas, Pagu, Chiquinha Gonzaga, Dona Ivone Lara e Badi Assad. 

No meio do pocket show, aconteceu a roda de conversa com Isabel Cristina Dalenogare, pedagoga e orientadora educacional, que falou sobre “Comunicação não Violenta - Mulher e violência no cotidiano e ferramentas na construção da paz”, e Maria Guaneci de Ávila, Promotora Legal Popular, que apresentou o trabalho da Themis sobre o atendimento às mulheres vítimas de violência nas comunidades. 

A exposição "Ficam os sapatos para não esquecer delas", trabalho produzido pelos estudantes do 8º ano durante as práticas pedagógicas Atitudes e Experiências Solidárias e Linguagens e Práticas Sociais, em 2018, também integrou a programação, uma iniciativa coletiva da Fundação Educacional, das estudantes e profissionais do Colégio João XXIII.