Prezada Comunidade!

Iniciamos o ano de 2020 com o compromisso de traduzir em ações as idealizações projetadas por um movimento contínuo de ressignificação da Escola como um todo, o qual emerge dos diversos encontros, diálogos e estudos junto aos estudantes, às famílias e aos profissionais do Colégio João XXIII. Somos uma comunidade que aprende e busca, cada vez mais, conectar-se com a sua essência e com os novos tempos, comprometendo-se com um projeto educativo humanista, democrático e inovador.

Nessa perspectiva, enquanto Equipe Técnica e Diretiva, compreendemos a importância de garantir a centralidade da infância e da juventude em seus processos de desenvolvimento humano como referência para uma nova arquitetura educativa e organizacional.

A indissociável relação no cuidado e na educação de crianças e jovens, bem como a necessária articulação entre seus tempos humanos e os tempos da escola possibilita a criação de uma abordagem organizacional por Núcleos da Infância e da Juventude. Esse sistema orgânico e integrador das diferentes fases da vida e etapas escolares considera os estudantes em suas especificidades emocionais, cognitivas, sociais e culturais, bem como em seus tempos contínuos de desenvolvimento e aprendizagem.

Compõem as equipes de cada Núcleo, profissionais que desempenham funções de Coordenação Pedagógica e Orientação Educacional junto à equipe docente e à equipe de apoio pedagógico.

imagem

Neste sistema integrado, profissionais da equipe técnica que constituem os Núcleos trabalharão em estreita parceria, não em etapas isoladas umas das outras. As diversas etapas escolares, com suas respectivas equipes, articulam-se como um todo, concebendo a educação como um processo contínuo que venha, de modo efetivo, ao encontro das necessidades e das potencialidades de crianças e jovens em seus percursos de vida e aprendizagem.

Nas passagens entre Educação Infantil e 1º ano, bem como entre o 5º e o 6º ano, e ainda entre o 9º ano do Ensino Fundamental e a 1ª série do Ensino Médio, concebemos anos-elos. Neles, a coordenadora ou a orientadora de referência da etapa anterior acompanhará os estudantes e famílias nesse movimento de transição.

Nessa perspectiva, a Direção Pedagógica é referência no processo de integração e articulação dos Núcleos junto à Comunidade Escolar e assume a responsabilidade de apresentar as mudanças na nova equipe de Coordenação Pedagógica e Orientação Educacional no ano de 2020, que contará também com uma Coordenação Administrativa Pedagógica.

Orientação Educacional

          Educação Infantil e 1º ano do Ensino Fundamental
        Hildair Garcia Camera

          Anos Iniciais do Ensino Fundamental (2º ao 5º ano)
        Taís Holosbak Mariani

          Anos Finais do Ensino Fundamental (6º ao 8º ano)
        Fabiana Catalani Lisboa

          9º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio
        Maria Fernanda S. Hennemann

Coordenação Pedagógica

          Educação Infantil
        Clara Coelho Marques

          Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano)
        Melissa Klein de Abreu

          Anos Finais do Ensino Fundamental (6º ao 9ºano) e Ensino Médio
        Ianne Ely Godoi Vieira

          Coordenação Administrativa Pedagógica
        Rosa Maria Limongi Ely

Por meio da organização por Núcleos, os diferentes aspectos da experiência educacional (o currículo, a pedagogia, os relacionamentos e agrupamentos, os tempos e espaços, a formação de professores, o acompanhamento das equipes, a avaliação e a promoção das aprendizagens) são tratados como um todo integrado.

Nesse contexto, algumas marcas pedagógicas se diferenciam no trabalho educativo e serão constituídas a partir de 2020. São elas:

• Tutorias Docentes no acompanhamento dos estudantes e das turmas - Cada turma, do 6º ano ao Ensino Médio, será acompanhada por um professor referência. O tutor, junto à Equipe Técnica, será o elo entre os estudantes, famílias e professores, garantindo um olhar de cuidado ao ser, conviver e aprender, bem como às especificidades de cada turma.

• Semestralidade nos tempos de aprender e avaliar - Acompanhamento contínuo dos estudantes, por meio de diferentes modalidades e instrumentos avaliativos, com devolutivas parciais e entrega de relatório avaliativo ao final de cada semestre. Ressignificação da avaliação do 6º ano ao Ensino Médio, considerando uma concepção formativa: critérios de acompanhamento dos estudantes, estudos de recuperação, novas abordagens para a expressão dos resultados – menções para habilidades na perspectiva do ser e conviver e uma nova composição da nota, de cada componente curricular, a qual compreende também novos olhares para a definição da média padrão.

• Mentoria por Área de Conhecimento - A nova arquitetura curricular pressupõe uma rede colaborativa em prol da ressignificação das experiências de aprendizagem em cada área do conhecimento e entre elas. Os Núcleos da Infância e da Juventude contarão com uma representação docente na mentoria das Áreas de Linguagem, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas, que atuará em parceria com a Coordenação Pedagógica dos Núcleos.

• Jornada Literária, Científica, Matemática e Cultural – Ressignificação dos tradicionais Planeta Literatura e Mostra Cultural em quatro momentos anuais com foco nas áreas do conhecimento. Equipes docente e mentores desenharão projetos que se revelam em processos de aprendizagem contínuos e espaços de compartilhamento, debates, desafios e vivências para os estudantes. Destaca-se um olhar diferenciado para a área das Ciências da Natureza, na qual novas possibilidades articuladas com pesquisa, encantamento, criticidade e inovação estão em pleno processo de implementação.

• Educação Física do 6º ano ao Ensino Médio - Os estudantes terão oportunidade de experimentar práticas diversificadas, contemplando uma abordagem cultural: esportes, ginástica, danças, lutas, práticas corporais de aventura, brincadeiras e jogos. Diferentemente dos anos anteriores, os grupos mistos se organizarão por ano/série em modalidades optativas, sem divisão por gênero.

• Arte - A organização dos grupos de estudantes das aulas de Arte nos Anos Finais do Ensino Fundamental passa a utilizar a mesma estrutura dos Anos Iniciais: uma professora com uma auxiliar para cada turma. Do 9º ano ao Ensino Médio, haverá ampliação da carga horária. Arte Cênica passa a compor o currículo escolar no 1º e no 5º ano do Ensino Fundamental, bem como na 1ª série do Ensino Médio.

• Língua Inglesa - A proposta implementada nos últimos anos, com a ampliação da carga horária para três períodos semanais (1º ao 4º ano) e a docência compartilhada com a professora regente em projetos da turma, promoveu uma qualificação do trabalho desse componente curricular, oportunizando um repertório diferenciado aos estudantes. Dessa forma, a estrutura vigente de grupo dividido do 5º ano ao Ensino Médio passa por uma reorganização: as aulas serão ministradas por turma com um professor responsável. A carga horária semanal desses anos/séries permanece de dois períodos, bem como a abordagem de projetos compartilhados com outros componentes curriculares.

• Itinerários formativos - Compõem a parte flexível do currículo que possibilita o exercício da autonomia, através da oportunidade de escolha, garantida aos estudantes, frente a uma multiplicidade de experiências que promovem a personalização dos percursos de aprendizagem.

5º ao 8ºano - As práticas pedagógicas complementares serão ressignificadas no Projeto Trilhas, constituído em módulos de 10 encontros por semestre. O primeiro módulo está previsto para acontecer de abril a junho. O segundo módulo, de agosto a novembro. A proposição das temáticas emerge das pesquisas realizadas com os estudantes. Surgem como possibilidades: Robótica, Astronomia, Gastronomia, Cinema, Educação Financeira, entre outras. Os itinerários eletivos serão oferecidos para 5º e 6º anos nas segundas-feiras, das 13h30min às 15h10min e, para os 7º e 8º anos nas quintas-feiras, das 13h30min às 15h10min.

9º ano - As aulas que aconteciam no desdobramento, ao longo do ano letivo, serão ressignificadas no Projeto Cartografia. A proposta articula-se como um elo para o novo Ensino Médio. A arquitetura deste projeto contempla um módulo obrigatório, no primeiro semestre, de Investigação Científica. No segundo semestre, os estudantes escolherão "professores-guia" para acompanhar seus Projetos Pessoais de Pesquisa. Serão dez encontros em cada semestre, nos períodos de abril a junho e de agosto a novembro, nas terças-feiras, das 13h30min às 15h10min.

Ensino Médio – Em 2020, a Escola iniciará a transição para a nova arquitetura curricular do Ensino Médio, que vigorará a partir de 2022 de acordo com referenciais legais vigentes. A carga horária vinculada ao desdobramento semanal será absorvida pelo acréscimo de um período diário, totalizando seis períodos (das 7h40min às 12h50min), semelhante ao funcionamento do 3º ano do EM, no segundo semestre, em anos anteriores. O Projeto Cartografia, no ano de 2020, contemplará novas configurações e oportunidades com vistas ao mapeamento de trajetos possíveis em prol dos projetos de vida de cada estudante. Entre as abordagens já definidas, configuram-se:

• aulas eletivas - Vivência em grupos multietários de 1ª e 2ª séries (2 períodos semanais).

• aulão - Todas as turmas do mesmo ano, na modalidade de docência compartilhada.
---> 1ª e 2ª séries – 1 período semanal.
---> 3ª série – 2 períodos semanais.

• projeto de vida – Proposta de um trabalho integrador em que Tutores e a Orientação Educacional responsabilizam-se e articulam-se enquanto parceiros e guias dos estudantes no mapeamento de suas escolhas e de seus projetos de vida.

Estamos cientes de que as mudanças que estão por vir carregam em si tanto a sensação de desafio frente ao novo, quanto um potencial de esperança e inovação contínuas. As reuniões e encontros comunitários programados para o início do ano letivo serão espaços potenciais de compreensão desses movimentos de mudança.

Em um tempo em que as escolas são ainda dominadas por padrões prescritivos que não correspondem a um mundo cada vez mais imprevisível e dinâmico, aprender a transformar o que acontece dentro da escola oferece desafios e uma visão de educação mais promissora e comprometida com a formação de gerações capazes de construir sociedades aprendentes, inventivas, sustentáveis e solidárias.

Isso demanda de todos nós, profissionais do Colégio João XXIII, abertura e esforço intelectual, somados ao desenvolvimento de competências teóricas e práticas. Demanda também desejo, capacidade de escuta, comprometimento ético e disponibilidade emocional para construir, permanentemente, esta "obra em educação" idealizada por Zilah Totta e protagonizada por uma vasta rede de relacionamentos humanos e significativos entre educadores, crianças, jovens e famílias.

Todo esse movimento demandará desta comunidade aprendente do João, confiança recíproca e colaboração entre todos. Aí reside o valor e a força desses processos de mudança em 2020.


Atenciosamente,

Márcia Valiati e Rosane Rodriguez

Equipe Diretiva

Clara Coelho Marques, Fabiana Catalani Lisboa, Hildair Garcia Camera, Ianne Ely Godoi Vieira, Maria Fernanda S. Hennemann, Melissa Klein de Abreu, Rosa Maria Limongi Ely e Taís Holosbak Mariani

Equipe Técnica