Estudantes da 3ª série do Ensino Médio do Colégio João XXIII inverteram a lógica acadêmica ao palestrar na disciplina de Estágio de Docência em Ciências, na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Convidado pela professora da UFRGS e mãe de estudante do Colégio, Eunice Kindel, o grupo recebeu apoio e acompanhamento da professora de Língua Inglesa Helena Cesar, orientadora da pesquisa; e da coordenadora pedagógica Mirian Zambonato. A atividade aconteceu na quinta-feira, 4/4. 

A possibilidade de desenvolver projetos científicos em escolas foi o tema da palestra "Moradores do Arroio Dilúvio: possibilidades de pesquisa Socioambiental na Escola". Ministrada pelos estudantes João Vitor Gonçalves, Marceli da Rocha, Eduarda Verardi, Leonardo Moll, Mariana Barcellos, Tatiana Lahm, Verônica Scapin e Vicenzo Maier, a apresentação voltou-se para a pesquisa "Arroio e cidadania: As histórias (não) contadas dos moradores do Dilúvio". “Para desenvover o estudo eles leram artigos, trabalhos acadêmicos e reportagens. Entrevistaram dezenas de pessoas que circulam pelo Arroio Dilúvio, discutiram, pensaram e construíram plano de pesquisa, resumo, pôster e relatório. Foi um processo real de pesquisa acadêmica que ficará marcado na vida de cada um deles", relata a orientadora Helena. 

O trabalho está entre os 10 projetos realizados durante a edição de 2018 do “Dez a Dez”. "A ideia era mostrar que estudantes de escolas podem sim fazer projetos acadêmicos”, conta Mariana Barcellos, uma das ministrantes.  “A sensação quando se fala em escola e universidade é que existe um espaço imenso entre elas e os projetos que fizemos no ano passado ameniza essa distância”, diz Vicenzo Maier, outro palestrante. 

Maior proximidade também com a rotina acadêmica e o ambiente da Faculdade. “É um ambiente muito livre e de muita interação”, percebe Vicenzo. Mariana, que pretende cursar Gastronomia na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), ressalta a maturidade dos estudantes na FACED. “Eles estavam atentos e fizeram perguntas interessantes. Essa troca de lugar também foi importante”, completa.     

A parceria do Colégio João XXIII com a UFRGS existe há mais de 10 anos e de lá para cá as trocas só aumentam. Em 2018, estudantes da Faculdade de Ciências Biológicas da Ufrgs estiveram na Escola para conhecer projetos voltados para a questão ambiental. Os coletores de água da chuva; o Meliponário, o projeto dos campos, responsável por recuperar a vegetação nativa do “morro do João” e o inventário verde que, anualmente, junto com o 3º ano do Ensino Fundamental e o professor Sérgio Leite, identifica a flora do Colégio, estiveram entre os trabalhos apresentados.

 

Sobre o “Dez a Dez”

O “Dez a Dez”, um projeto interdisciplinar e anual desenvolvido para os estudantes da 2ª série do EM, está focado no desenvolvimento de equipes, em experiências desafiadoras, no Enem e nos vestibulares. As multiatividades, como são conhecidas as atividades do projeto, estão relacionadas com temáticas atuais e contextualizadas.