Depois de se engajarem na Olímpiada Internacional “Mathématiques sans Frontières” (OIMSF), em meados de abril, os estudantes do Colégio João XXIII participaram da Olimpíada Nacional de História do Brasil (ONHB), na quarta, 9 de maio, e da Olimpíada Brasileira de Física (OBF), no dia 10.  

Nas próximas semanas, outras provas virão, inclusive de eventos já conhecidos pela gurizada, como a Olímpiada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), a Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG) e a Olimpíada brasileira de Matemática de escolas (Obmep). Os principais motivadores foram os professores Luciano Stropper e Cassio Mello, de Matemática, Marina Valenzuela e Jeferson Barp, de Física, e a professoras Patrícia Dyonisio de Carvalho, de História.  

 

Olimpíada Internacional Matemática sem Fronteiras 

A OIMSF, seção brasileira do evento “Mathématiques sans Frontières”, envolveu 184 estudantes do 5º ano do Ensino Fundamental ao Ensino Médio. Uma competição resolvida em equipe, a Olimpíada irá divulgar os resultados no site até o dia 11 de junho. Entre os prêmios para as equipes ou escolas que se destacarem está o credenciamento para competições internacionais. 

 

Olimpíada de História

Voltada aos estudantes do 8º ano ao Ensino Médio, a Olimpíada Nacional de História do Brasil - 10ª edição é composta por seis fases à distância e uma presencial. No João XXIII, 24 estudantes estão participando do evento que segue até 18 de agosto. “O evento, além de ser uma oportunidade para os estudantes terem contato com fontes de História do Brasil não facilmente encontradas em livros didáticos, é uma chance para refletir sobre aspectos da História do país de forma mais aprofundada e complexa. Creio, também, que esse tipo de Olimpíada, que exige o trabalho em grupo, é bacana para o estreitamento de laços entre os estudantes, ponto que está sendo cada vez mais valorizado nas discussões contemporâneas sobre educação”, falou a professora.

 

Olimpíada Brasileira de Física

A primeira fase da OBF mobilizou, no Colégio, 31 estudantes do 9º ao EM. Dessa vez, as questões foram objetivas. A segunda fase, marcada para o sábado, 18 de agosto, em local a ser determinado pela comissão organizadora, terá questões dissertativas e a terceira, no dia 6 de outubro, será uma prova experimental e teórica. 

 

Olimpíada de Astronomia                                

Estimulados pelo projeto “Astronomia: Um mundo muito além do nosso planeta” e pelas aulas práticas e contextualizadas, 45 estudantes do 9º ano ao EM se inscreveram na OBA. A prova será aplicada no dia 18 de maio, na Escola, e os primeiros colocados na Olimpíada vão participar da Jornada Espacial realizada em São José dos Campos, no Polo de Astronáutica do Brasil. No ano passado, dos 36 estudantes do João XXIII inscritos no evento, quatro alunos conquistaram medalhas de bronze e prata. Entre o grupo estava o ex-aluno Leonardo Capaverde, que devido ao seu bom desempenho na OBA, foi pré-selecionado para as “Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica” e “Olimpíada Latino Americana de Astronomia e Astronáutica”.

 

Mostra brasileira de foguetes de garrafa pet

Os 4 estudantes inscritos na Mostra Brasileira de Foguetes, da 1ª série do EM, tem até o dia 18 de maio para construírem e lançarem seus foguetes. Os jovens terão o apoio da professora Marina e os lançamentos acontecem no próprio João XXIII. As 200 melhores equipes serão selecionadas para participarem da Jornada de Foguetes, em Barra do Piraí, Rio de Janeiro.  

 

Olimpíada brasileira de Matemática 

A já conhecida Obmep teve, neste ano, 119 inscritos. Voltada para estudantes do 6º ao EM, a competição acontece em duas etapas e os candidatos são divididos em três níveis: nível 1 para alunos do 6º e 7º ano do Ensino Fundamental; nível 2, para alunos do 8º e 9º ano do E.F.; e nível 3, alunos do Ensino Médio. A primeira fase, com prova objetiva, está prevista para 5 de junho, no próprio João XXIII. A próxima, que acontece em 15 de setembro, é a aplicação de prova discursiva. Para o professor Cassio, a participação dos jovens “é importante para despertar mais interesse em uma matemática ainda mais aplicada, já que a prova não tem compromisso com o conteúdo e sim com o raciocínio lógico”.

A fim de dar suporte aos candidatos, a Coordenação Pedagógica das etapas envolvidas está organizando grupos de estudos. “Nosso acompanhamento não é apenas na Escola. Ano passado fomos com o grupo selecionado para a fase final à UFRGS. E neste ano queremos repetir o cuidado”, disse Cassio. 

Em 2017, mais de 100 estudantes do João XXIII se inscreveram na Obmep. Desses, 10 passaram para a segunda fase e seis receberam menções honrosas - dois de cada nível, além do 14º lugar no nível 3 conquistado pelo ex-aluno Eduardo Castelli Kroth. “Diante da certeza de que, novamente, estaremos bem representados, desejo, principalmente, que os estudantes possam se divertir e aprender um pouco mais sobre matemática”, almejou o professor Luciano.