Guia antirracista provoca reflexão

Apresentado na Mostra Zoom, o Guia tomou por base a obra Pequeno Manual Antirracista, de Djamila Ribeiro


“Entendeu ou quer que eu desenhe?” Esta frase - pronunciada com ironia, na maioria das vezes – foi levada ao pé da letra pelos estudantes da 2ª série do Ensino Médio, autores do Guia ilustrado Antirracista do João XXIII. Apresentado nesta terça-feira, às 9 horas na Mostra Zoom, o projeto tomou por base a obra Pequeno Manual Antirracista, de Djamila Ribeiro e envolveu as disciplinas de Biologia, Sociologia e Filosofia, sendo orientado pelos professores André Kersting e Adriane Ramalho. 

Cada uma das versões, produzidas pelas turmas têm ilustrações primorosas e propõem um desafio à reflexão e à autocrítica. Os trabalhos incluem quadrinhos e frases de pensadores sobre o tema “de grande relevância para a construção de uma sociedade ética, de respeito à diversidade e, sobretudo, mais justa”, como define uma das apresentações elaboradas pelos estudantes.

Aqui no Brasil, como se criou este mito da democracia racial, de que todo mundo se ama e de que todo mundo é legal, muitas vezes o próprio sujeito negro tem dificuldade para entender que a nossa sociedade é racista”, diz Djamila, musa inspiradora do Guia. Filósofa, escritora, acadêmica, pesquisadora, mestra em filosofia política e articulista na imprensa, Djamila participou de uma aula-palestra com os alunos do 9º ano em junho deste ano.  

Entre outros antídotos contra o racismo, os Guia alinha vários tópicos, como: enxergue a negritude, reconheça os privilégios da branquitude, perceba o racismo internalizado em você, apóie políticas educacionais afirmativas, transforme seu ambiente de trabalho, leia autores negros, questione a cultura que você consome, conheça seus desejos e afetos e combata a violência racial. 

A seguir, confira os três manuais produzidos por cada uma das turmas. 

 

 

Downloads: