Missões: uma viagem de muitos aprendizados

O mês de novembro foi de estreia para o 4º ano, que nos dias 23 e 24, esteve nas Missões. Inserida no “Projeto Desvelar”, a viagem de dois dias e uma noite é um dos diferenciais da proposta de desenvolvimento integral oferecida pelo João XXIII. Além de concretizar o aprendizado sobre a história dos povos indígenas e a cultura do Rio Grande do Sul, a atividade proporciona o crescimento das crianças através de vivências, que estimulam transformações atitudinais importantes. “Eles voltaram diferentes, mais empáticos e vinculados afetivamente com os colegas e conosco”, observou a professora Melissa Klein Abreu, acrescentando, ainda, que a viagem é uma possibilidade de amadurecimento para todos. “Para as crianças, porque mostram autonomia. Para nós, educadoras, porque vivenciamos situações que vão além da esfera escolar”, disse.  

Esperada por todos desde o início do ano, a viagem para as Missões possui um planejamento detalhado, incluindo roteiro da viagem, o que levar, atitudes esperadas dos alunos e checklist para sair do quarto (ver guia em anexo). Informações sobre as estradas percorridas, as cidades, os locais turísticos e sobre o povo guarani também estão no roteiro entregue para cada “viajante”. 

Conhecer o Sítio Arqueológico de São Miguel, também conhecido como Ruínas de São Miguel das Missões, e ter contato com o povo indígena que vive no local, estão entre as coisas mais legais para os alunos. “Foi muito legal poder ver o artesanato e conversar com os índios pessoalmente”, disse Mariana Spieker, da 4H. “Conhecemos um sonho ao sul do mundo e aprendemos algo que ficará para sempre na vida das crianças, um fato histórico e seu impacto na história do nosso povo. Além disso, o crescimento e as trocas traduzidas nessa experiência são de uma potência enorme para a formação dos alunos. Levamos para a viagem crianças e trouxemos seres humanos que viveram e enfrentaram desafios, revelando um engajamento e um comprometimento diferenciado sobre o que somos, o que fomos e o que queremos ser ”, afirmou a coordenadora pedagógica Ianne Ely Godoi Vieira.    

Downloads: