Novembro afro

Para marcar o dia da consciência negra e a fim de povoar o imaginário das crianças com lendas e contos africanos, as contações de histórias do mês de novembro foram temáticas. “Durante todo o mês, quis traduzir, através do meu trabalho, um pouco da cultura, história e luta do povo negro”, disse a contadora de histórias do Colégio, Fabiana Souza. A proposta envolveu desde a classe-bebê e os maternais até o 4º ano do Ensino Fundamental. 

“Benedito”, de Josias Marinho, que aborda o tema da ancestralidade a partir do encanto de uma criança pela batida do tambor do Congado, foi o livro escolhido para os bebês e os pequenos dos maternais. Para as crianças dos anos iniciais, Fabiana escolheu livros como “O mundo no black power de Tayó”, de Kiusam de Oliveira, “Zum zum Zumbiiii”, de Sonia Rosa . “Tivemos espaço para conversas e reflexões que partiram de perguntas e questionamentos das crianças. A contação de história é uma forma de resistência, onde é possível resgatar as memórias de um povo e abrir uma porta para o diálogo de temas, muitas vezes, difíceis de serem abordados de forma convencional”, falou a contadora. 

A Biblioteca entrou no clima e expôs livros do acervo com temática da cultura africana e afro-brasileira. Para ilustrar, o estagiário Miguel Cury fez uma decoração para estimular a reflexão sobre a africanidade.