Atuais e necessários, os assuntos fazem parte do tema central “Violência contemporânea: Que(m) escutamos?”


Dois assuntos cada vez mais pertinentes no cenário atual, a violência racial e a violência de gênero são focos do Seminário de Ciências Humanas do Colégio João XXIII, no sábado, 5, às 10h30min. “Violência contemporânea: Que(m) escutamos?” é o tema central da edição de 2020 que, de forma virtual, reúne convidados e estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental até a 3ª série do Ensino Médio para uma manhã de reflexão. Serão duas salas simultâneas voltadas para os temas “Violência racial” e “Violência de gênero”, respectivamente. Os jovens poderão escolher em qual dos locais querem participar por meio de inscrições no link: https://forms.office.com/Pages/ResponsePage.aspx?id=a3GHzepBAUWjRsjILzTwiYvk6bqq8shMhZ77bmj_xCJUOUROMzI4VDUwVTRRN01PMEI1OVdVR1lNMC4u.  

Além das salas sobre “Violência Racial” e “Violência de Gênero”, das 11h às 12h, com debatedores convidados, o evento começa com o acolhimento poético da contadora de histórias da Escola, Fabiana Souza, com a poesia de sua autoria “A Cor da Pele Mata”. Em seguida, o artista angolano Kizua Trindade apresenta sua poesia em forma de música. 

No Brasil desde 2012, ele veio com o propósito de estudar Engenharia de Controle e Automação na UERGS e de lá pra cá teve que se adaptar a uma nova cultura e presenciar a dificuldade que imigrantes africanos passam na diáspora, bem como os dilemas do povo Preto e periférico do Brasil. A arte, mais especificamente o Rap, o ajudou a enfrentar essa turbulência, servindo como uma forma de expressão e de libertação. “Que meus versos sejam chaves...”, diz.  

Gladis Elise Pereira da Silva Kaercher, Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul com atuação, entre outras áreas, em educação antirracista, identidade e diferença; e Luciana Garcia de Mello, Doutora em Sociologia pela UFRGS e pela Université de Nice Sophia-Antipolis, pesquisadora no grupo de pesquisa Trabalho e Reconhecimento Social e membro do Observatório de Gênero e Diversidade da UFPEL estarão debatendo sobre violência racial, na sala 1

Roberta Silveira Pamplona, doutoranda em Sociologia pela Universidade de Toronto, Canadá, e membro do Grupo de Pesquisa Violência e Cidadania (GPVC); Niti Merhej, doutoranda em Educação pela Universidade de São Paulo, pesquisadora de temas como política pública em cultura e poeta; e Muriel Rodrigues de Freitas, doutoranda em História pela PUC/RS e pesquisadora sobre a história das mulheres e da loucura e cinema de horror das décadas de 1970/1980 vão abordar a violência de gênero, na sala 2

Seu navegador não suporta a visualização de PDFs.

Para efetuar o download do arquivo clique neste link: Seminário de Ciências Humanas reflete sobre violências racial e de gênero